Pobreza Menstrual: a falta de acesso à infraestrutura e itens básicos de higiene

22% das jovens de 12 a 14 anos no Brasil não têm acesso a produtos de higiene

Maria Augusta Messias 15/12/2021 • 15:55 - Atualizado em 15/12/2021 • 17:02
ONU considera o acesso à higiene menstrual um direito
ONU considera o acesso à higiene menstrual um direito
Maria Augusta Messias

A pobreza menstrual é um tema que mexe com a sociedade, pois está relacionado à falta de acesso a infraestrutura e itens de higiene no momento tão delicado para a mulher. Segundo o Unicef, 713 mil meninas brasileiras vivem sem banheiro ou chuveiro em casa. Já um levantamento de uma marca de absorvente mostra que 22% das jovens de 12 a 14 anos no Brasil não têm acesso a produtos de higiene no período menstrual. Isso propicia a evasão escolar, fazendo com que cheguem a perder até 45 dias de aula a cada ano letivo.

Desde 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera o acesso à higiene menstrual um direito que precisa ser tratado como uma questão de saúde pública e de direitos humanos.

Nesta reportagem do Projeto Primeira Notícia, a aluna de Jornalismo da ESPM, Maria Augusta Messias fala sobre o tema e como é possível reverter esta situação para que as mulheres não precisem se preocupar.

  • PRIMEIRA-NOTICIA